sábado, 1 de março de 2008

PETIÇÃO ONLINE "SALVEM O LARGO DO RATO"

( para subscrever a petição, veja mais abaixo)
Fotomontagem, Expresso, respeitando as dimensões do projecto
Fotomontagem, Expresso, respeitando as dimensões do projecto

Independentemente da qualidade arquitectónica deste edifício, que ficaria muito bem noutra zona de Lisboa, como na Expo por exemplo, aqui e, urbanisticamente falando, trata-se de explodir completamente com a escala do Largo do Rato.

Esta intervenção torna completamente desenquadrado o prédio Ventura Terra, prémio Valmor que, se não é demolido, fica pelo menos, com vontade de o ser: São sete pisos acima do solo, fachadas com comprimentos compreendidos entre os dezanove e vinte e dois metros e, dez mil metros quadrados de construção.

A sinagoga de Lisboa, fica completamente emparedada; Esther Mucznik, vice presidente da comunidade judaica, evoca um cenário um dia discutido com Jorge Sampaio e que fica irremediávelmente comprometido: "- Rasgar um jardim em direcção ao Rato, de modo a abrir a sinagoga á cidade".

Para além da total destruição, da centenária Associação Escolar de São Mamede, o proprio chafariz dos jardins Palmela, agora Procuradoria Geral da República, da autoria de Carlos Mardel, fica completamente esmagado ao lado deste volume despropositado, com remeniscências da "Casa da Música" .

Até agora o atrevimento desta ganância demolidora, só tinha ido até ás zonas construídas do final do sec.XIX, das Av. Novas e Av.s da Liberdade e da República: Neste caso concreto, estamos perante a primeira grande tentativa de assalto a uma zona que, até agora, tinha sido preservada e protegida.

Perante tal situação, decorrerá uma petição online, para ser entregue na Câmara Municipal de Lisboa e na Assembleia da República, contra esta intervenção.

Das sucessivas transformações, resultou o que hoje se conhece deste largo. Apesar de tudo, melhor do que aquilo em que se pretende transformar, com a nova construção.

1 comentário:

olga esteves disse...

perfeito