segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

D.DUARTE: "SE UNIÃO HOMOSSEXUAL FÔR CASAMENTO, NÂO SE PODE IMPEDIR ADOPÇÃO"

16.01.2010 - 17:37 Por Lusa

«D. Duarte de Bragança disse hoje que se for dado o estatuto de casamento à união entre pessoas do mesmo sexo não pode haver interdição à adopção de crianças.
“Se for um casamento, com estatuto de casamento, obviamente não se pode impedir uma adopção”, disse o Duque de Bragança, sublinhando, contudo, esperar que os juízes que se venham a deparar com esses processos só sejam favoráveis nos casos em que exista uma mulher na família. “Uma criança precisa de ter uma mãe. Se for uma mulher só ou duas a viverem juntas não vejo qualquer impedimento. Agora para homens não faz sentido”, disse.
D. Duarte afirmou não se opor ao reconhecimento de direitos a casais homossexuais, discordando, contudo, que se chame casamento a essa união. “Há uma excitação muito grande à volta de um assunto que está mal analisado e mal estudado”, disse, sublinhando não pôr “minimamente em causa o direito dos homossexuais viverem juntos e terem os seus direitos reconhecidos”, mas discorda que seja considerado casamento.
“Porque não se legaliza então também a poligamia?”, questionou, referindo que em Portugal vivem muitos muçulmanos “que na sua tradição praticam a poligamia”. D. Duarte participou hoje em Santarém no VII Almoço de Reis promovido pela Real Associação do Ribatejo, que se seguiu a uma reunião da direcção da Causa Real.»
.
-"A opinião de SAR é em tudo consentãnea com aquela que venho defendendo:
Os direitos inegáveis de todos, incluindo os dos homossexuais, não podem servir como arma de aremesso politíca e como forma de contestação, para retirar da obscuridade alguns activistas frustrados que, de outra forma, nunca teriam futuro social; não pode e não deve ser usada contra aquilo que deve ser o equilíbrio e o respeito pelos valores e fundamentos da nossa sociedade.
É que, exigir a fractura com esses valores e fundamentos, pode levar ao extremar de posições, com as consequências nefastas que daí podem advir, incluindo causar um retrocesso na aceitação social que os homossexuais souberam impôr á sociedade civil.
A implementação de direitos aos cidadãos, enquanto a sua assumpção como homossexuais, parece-me ser coisa que ninguém põe em causa e que está socialmente ultrapassada, salvo em franjas residuais da população, onde existe ainda um atraso estrutural, devido á incultura e falta de educação. Assim sendo, parece extemporãneo querer pôr a sociedade em confronto, sem que haja fundamento visível para tal, a não ser que estejamos perante um "fait divers" para nos distrair de outros assuntos bem mais complicados".
.
Luis Marques da Silva

1 comentário:

ellen disse...

Gostei de saber a opinião de D.Duarte! Surpreendeu-me!!! e gostei...